Soul
Leave a Comment

Por Que Parei de Orar por Meus Filhos

Algumas pessoas oram como um poeta. Se expressando radiantemente todas as grandes coisas que o Amado de sua alma tem feito. Seu amor é mútuo e glorioso. É dramático e florido, com gemidos e suspiros. Eu já orei assim, quando meu bebê bem gordinho sorriu para mim, e quando eu flagrei meu marido dando uma olhada em mim enquanto estava do outro lado da sala.

Algumas pessoas oram como um inquilino, deixando ‘recadinhos’ na porta da casa do proprietário. Eles “reviram” os olhos quando algo não funciona, sabendo que sempre que o dono chegar ao problema, vai ser tarde demais. Eles o espera vir com cheiro de cigarros e com um rolo de fita adesiva, mas normalmente, no fim eles acabam consertando o problema sozinhos. O que imaginam ser o que o proprietário estava esperando que eles fizessem. Eu já orei assim, quando o câncer da minha amiga não se curou, e quando o divórcio do meu amigo foi finalizado.

Algumas pessoas oram como uma criança, pedindo coisas grandes com grandes olhos inocentes. Eles pedem sentados no lugar seguro sobre os ombros do seu paizinho. O pai é sempre paciente e confiável. Ele pode corrigir alguma coisa, e ele o faz, enquanto sorrindo, assobiando, e tirando sua carteira gorducha e cheia de provisão. Eu já orei assim, quando o emprego dos sonhos foram oferecidos e casa que sonhei foi comprada.

Na maioria das vezes, agora que tenho filhos, eu oro como uma advogada. Eu recolho todas as informações e historias precedentes e jogo a minha história na mesa. Eu calculo o humor do juiz e tento obter tudo na língua que o tribunal gosta de ouvir. Argumentos exaustivos: “Nós entendemos que você pode estar permitindo que essa criança tenha um acidente de carro. Estamos prontos para aceitar este negócio se Você puder garantir a recuperação completa e torna-lo uma pessoa melhor”. Ou dizemos: “Estamos dispostos a aceitar sexo antes do casamento, se Você puder garantir que abuso sexual e estupro estão fora da jogada”.

Eu já ganhei muitos casos. Mas também estou muito cansada de perder alguns.

Grundtvig Memorial Church, by Jensen Klint. Photo by Seier+Seier

Grundtvig Memorial Church, Construído por Jergen Klint. Foto de Seier+Seier.

 

 

Eu tive um monte de almoços e vinhos com o juiz em seus aposentos. Ele é amigável. Ele é amigável com todos os advogados. Ele me convidou para ir à pesca e para ir jantar com sua esposa. Eu fui e apareci com uma enorme pilha de arquivos debaixo do braço. Ele dizia: “Querida, eu já ouvi o seu caso. Vamos apenas desfrutar deste sol”. Eu sentava inquieta na minha cadeira de balanço olhando para o meu relógio, ansiosa para voltar ao trabalho.

Quando meu filho parou de comer quando tinha um ano e meio, eu apareci no tribunal com a pilha mais alta de arquivos. Eu lembrei o juiz de todos os anos que eu implorei para ter um filho, da gravidez atemorizante, do parto com risco de vida, dos 12 dias na UTI, e todas das vezes ele rolou fora da minha cama e pulou do berço. Eu disse a ele que ele deveria substituir essa recusa em comer por respeito pelos mais velhos, crescimento saudável, e refeições agradáveis. Quando eu não estava no tribunal eu estava com os médicos, terapeutas e especialistas. Mas, principalmente, eu estava no supermercado, várias vezes por semana, porque meu filho só comia se fosse uma amostra grátis que davam la no mercado enquanto ele estava no carrinho de dois lugares ao lado de sua irmã gêmea.

Uma vez meu bebê caiu de uma janela de dois andares no nosso pátio de tijolinhos. A ambulância, os bombeiros, paramédicos e a polícia todos chegaram em volta dela. Corri para o tribunal para obter um mandado para prender quem foi o infeliz que deixou a minha menina cair para fora da janela. Imaginei o juiz cuidadoso, sorrindo e queria dar um soco na cara dele. Minha adrenalina estava em alta no momento em que viajava na parte de trás da ambulância em alta velocidade. Eu mandei dizer ao tribunal que estava aberta ao um apelo de negociação. Nós permitiríamos ossos quebrados ou uma concussão, mas nos recusamos a aceitar orgãos furados, danos cerebrais ou morte. Nossa filha estava rindo e dançando em sua segunda festa de aniversário no dia seguinte. Enviei ao juiz um cartão de agradecimento e alguns presentes.

 

Meu marido recebeu uma oferta de emprego em outra parte do Pais há um ano atras. Eu organizei uma equipe de voluntários para enviar petição ao juiz dizendo que a mudança para outro estado era criminosa e ilegal. Eu tinha centenas de pessoas para me defender. O juiz não bloqueou a mudança. Quando os homens da mudança chegaram e começaram colocar todos os nossos pertences naquele caminhão enorme, eu não os deixei tocar o contêiner cheio de arquivos que eu estava trabalhando. Era um arquivo em preparação para a lidar com crianças ansiosas em uma nova escola e cidade. Eu mantive os arquivos perto de mim. Eu ia para o juiz todos dia com pedidos específicos sobre os amigos, professores, vizinhos e grupos de jovens, que ele tinha que fornecer para nós. Ele ouviu meus argumentos apaixonados, sem fôlego, e lacrimejantes. Ele nunca me disse que eu estava sendo desprezada.

Grundtvig Memorial Church, PV Jensen Klint

Grundtvig Memorial Church, Construído por Jergen Klint. Foto de Seier+Seier.

Tem sido um ano terrível. É como se o juiz não tivesse ouvido uma coisa que eu disse. Ou ele está trabalhando contra nós com uma agenda totalmente diferente. Eu continuei aproximando-se ao tribunal com novos documentos, borrados com batidas de morango, vinho tinto, e as lágrimas dos meus filhos. Ele aceitou e leu-os com seriedade e paciência gentil.

Em janeiro eu dei um basta, aquilo era o suficiente. As coisas nunca tinham sido tão difíceis. Todas as crianças estavam em crise e o juiz não se importava. Então eu fui para a casa dele, sem ser convidada. Eu estava manchada de suores e com os óculos tortos. Talvez eu tinha bebido. Eu não tinha arquivos, movimentos, ou documentos de qualquer tipo. Sua mulher atendeu a porta com suas vestes e me abraçou. Ela me levou ao gabinete do marido. Eu pensei que ele estaria dormindo, porque era muito tarde. A mulher do juiz disse: “Não querida, ele nunca dorme.”

Eu entrei no escritório e o vi lendo arquivos em sua mesa, os óculos baixo em seu nariz. Ele não olhou para cima. Examinei as altas prateleiras cheias de livros. Notei que havia uma imagem que parecia familiar. Eu andei em direção a ela e vi que era uma foto minha com cabelo em rabos de cavalo e sardinhas no rosto. Havia fotos dos meus pais e minha irmã, e do meu dia de casamento. Em sua mesa, ao lado da foto de sua esposa, era uma imagem de meus 3 filhos. Eu o peguei e silenciosamente perguntei: “por que você tem isso?” Ele virou-se na cadeira, fechou os óculos, e olhou direto nos meus olhos:

“Eu amo seus filhos.”

The_Grundtvig_Church_no__1_by_herot

“Grundtvig Church No 1.” Foto de Herot.

Eu sabia que ele era gentil e que já ajudou crianças em todos os lugares com a sua riqueza. Ele ama todas as crianças. Mas ele era um profissional. Certamente ele não se envolveria pessoalmente com todos os casos apresentados a ele. No canto havia pilhas de caixas etiquetadas “Fritz” (meu sobrenome). Eu era uma defensora meticulosa e eficiente para os meus filhos. Defendi-lhes tudo o que eu tinha. Eu contratei especialistas para me ensinar a lutar melhor e preencher as lacunas quando o juiz nos decepcionava. Eu perdi o sono muitas noites tentando descobrir como convencê-lo a proteger os meus filhos.

Eu me joguei em uma cadeira em frente à sua mesa. Ele olhou para mim com expectativa. Eu perguntei, “você conhece meus filhos?” Ele abriu uma gaveta e me mostrou desenhos de giz de cera que meus filhos lhe fizera. Eu fiquei confusa.

Por mais de 12 anos eu estava pedindo e implorando ao juiz, colocava para fora todos os detalhes e circunstâncias especiais, pedia favores, proteção e garantias, preenchia as lacunas e negociava todos os dias. Ninguém poderia pedir uma advogada melhor.

Naquela noite, eu descobri que o juiz tinha planejado que meus filhos tivessem os médicos que precisavam, que ele mesmo tinha escolhido seus professores, e foi ele quem tinha arrumado o  trabalho do meu marido naquele novo estado. Todas as vezes que eu estava assentada em suas câmaras no tribunal, eu tinha perdido a oportunidade de o ver falando sobre cartões de Pokemon e bonecas com meus filhos. Quando ele me convidou para jantar em sua casa os meus filhos já estavam jogando no lago em sua propriedade. Eu nem percebi que o seu barco de pesca tinha o nome de meus filhos.

Ele não precisava de exposições e argumentos. Ele não precisava de provas apresentadas com direito a uma linguagem exata e perfeita. Ele não precisava de ser convencido. Ele já os conhecia e os amava. Ele estava intimamente envolvido. Eu simplesmente não percebi isso.

Todos esses anos o juiz me permitiu apresentar esta informação desnecessária para que pudéssemos passar tempo juntos. Eu não estava confortável com esse relacionamento familiar e especialmente quando eu estava com o trabalho de defensora e advogada dos meus filhos. Ele sempre me convidou para passar o tempo com ele fora do tribunal, mas eu normalmente não queria porque era, de certa forma, muito perturbador. Meu trabalho era a coisa mais importante.

O juiz limpou a garganta e disse: “Filha, Se você tiver alguma dúvida sobre o bem-estar de seus filhos, você não precisa entrar na minha sala de audiências. Você pode vir aqui. Para minha casa. Para meu escritório privado. Você não precisa ligar com antecedência. Por favor, apenas venha. Você é sempre bem-vinda aqui.”

gruntivn church

Grundtvig Memorial Church, Construído por Jergen Klint. Foto de Seier+Seier.

Eu olhei para as fotos nas prateleiras e em sua mesa, as caixas no canto, e os desenhos da infância abaixo de seus óculos. Eu não podia acreditar que eu não tinha percebido isso antes.

Eu abandonei meu trabalho na manhã seguinte. Eu não levei mais nada do meu escritório. Deixei tudo lá, com a chave sobre a mesa.

Minha família está agora no meio de se mudar para a casa do juiz. Meus filhos ainda têm tantos problemas difíceis, mas eu sei que o juiz os vê. Ele vai fazer o que e preciso e melhor para as crianças. Estou aprendendo a sair com ele na varanda, sem uma agenda. Ele gosta de minhas piadas.

Às vezes, quando estamos todos juntos em volta da mesa, rindo e comendo e lembrando-se das melhores partes de nosso dia, eu caio meio que em modo antigo de Defensora e começo a listar todas as coisas que o juiz precisa fazer. Ele sorri para mim e eu me lembro que eu não estou no trabalho. Estou em casa.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Grundtvig Memorial Church, Construído por Jergen Klint. Foto de Seier+Seier.

Pano de fundo:

  1. “Então Jesus disse aos seus discípulos uma parábola, para mostrar-lhes que eles deviam orar sempre e não desistir. Ele disse: “Em certa cidade havia um juiz que não temia a Deus nem se importava que as pessoas pensavam. E havia uma viúva naquela cidade que ia ter com ele com o fundamento, ‘Faze-me justiça contra o meu adversário. “Por algum tempo ele se recusou. Mas, finalmente, ele disse para si mesmo: ‘Embora eu não tema a Deus ou ligo para o que as pessoas pensam, todavia, porque esta viúva está me incomodando, eu vou ver que ela obtenha justiça, para que ela não vai, eventualmente, vir e atacar-me! “Lucas 18: 1-5. Para que tipo de juiz voce tem orado? Eu sabia que o meu era gentil e justo, mas eu não acho que ele se preocupava com os meus dados ou meu coração. Porque ele era tão silencioso. Passar um momento com os olhos fechados imaginando o Deus / juiz que ouve suas orações. Como ser que seu rosto se parece? Como e o som de sua voz?
  2. “Não andeis ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração e súplica, com ações de graças, apresentem seus pedidos a Deus. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos sentimentos em Cristo Jesus “Filipenses 4: 6-7Muitas das minhas orações para os meus filhos foram formadas e alimentada pela ansiedade, não a fé. As orações se tornou um mau hábito, uma compulsão. Eles não trouxe a paz ou a claridade. Eles me levou para longe de Deus. Eu acho que esta lacuna veio quando eu esqueci que Deus é bom e implacavelmente amoroso. O que você acha caráter de Deus é como? 
  3. “Em verdade vos digo que, se alguém disser a este monte: ‘Vá, jogue-se no mar’, e não duvidar no seu coração, mas crer que o que eles dizem que vai acontecer, vai ser feito por eles. Por isso vos digo, tudo o que pedirdes na oração, crede que recebestes, e será assim convosco” Marcos 11: 23-24. Esta passagem parece dizer que a oração não respondida é minha culpa, por causa de falta de fé. Como se a fé fosse uma moeda que eu coloco num telefone publico para fazer a oração ser respondida. Minhas orações eram mais sobre transações do que relacionamento. E a suas?
  4. “Eu sou a videira; vós, os ramos. Se permanecerdes em mim e eu em ti, esse dá muito fruto; sem mim, nada podeis fazer “João 15: 5. Um monte de cristãos falam de ‘permanecer em Cristo’ . Eu ainda estou tentando descobrir o que isso significa. Eu estou mudando-se para a casa do juiz em vez de apresentar o meu caso no tribunal. Estou entregando todos os meus argumentos e sugestões a Deus, e aprendendo a confiar que ele já sabe tudo e quer nos amar e nos salvar. Para mim parece que um tempo curto de devocional e uma lista curta no meu diário de oração e no meu espelho funciona melhor. Em vez disso eu estou fazendo orações ao longo do dia do tipo “Eu confio em Ti, Deus” ou “Deus vai tomar conta disso!” a medida que os problemas surgem durante o dia. O que ‘permanecer Nele” significa para você?

Você é amado por Deus.


 

Grundtvig Memorial Church, PV Jensen Klint

Grundtvig Memorial Church, Construído por Jergen Klint. Foto de Seier+Seier.

Advertisements

Thoughts?

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s